sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

PROFECIA ASSUSTADORA SOBRE A ÚLTIMA CRISE DO MUNDO !!!

DONALD TRUMP RECONHECE JERUSALÉM CAPITAL DE ISRAEL - Pronunciamento do P...

DONALD TRUMP RECONHECE JERUSALÉM CAPITAL DE ISRAEL - Pronunciamento do P...

DONALD TRUMP RECONHECE JERUSALÉM CAPITAL DE ISRAEL - Pronunciamento do P...

Jerusalém Capital de Israel

Decisão foi comunicada nesta quarta-feira pelo presidente dos EUA, Donald Trump: "Meu anúncio marca o começo de uma nova abordagem no conflito entre Israel e palestinos".


Anunciado nesta quarta-feira (6) pelo presidente americano,Donald Trump, o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel e a mudança da Embaixada dos EUA em Israel para a cidade são movimentos delicados e que causam muita polêmica no cenário internacional.
Israel considera Jerusalém sua capital eterna e indivisível. Mas os palestinos reivindicam parte da cidade (Jerusalém Oriental) como capital de seu futuro Estado.
Apesar de apelos por parte de líderes árabes e europeus, e de advertências que a decisão poderia desencadear uma onda de protestos e violência, Trump declarou que adota agora uma nova abordagem, considerando que mesmo com a postura anterior dos EUA, a paz na região até hoje não foi atingida.
Atualmente, a maioria dos países mantém suas embaixadas em Tel Aviv, justamente pela falta de consenso na comunidade internacional sobre o status de Jerusalém. A posição da maior parte da comunidade internacional, e dos Estados Unidos até o anúncio desta quarta, é a de que o status de Jerusalém deve ser decidido em negociações de paz.
No conflito entre Israel e palestinos, o status diplomático de Jerusalém, cidade que abriga locais sagrados para judeus, cristãos e muçulmanos, é uma das questões mais polêmicas e ponto crucial nas negociações de paz.

HISTÓRICO

O plano da ONU em 1947 previa a partição da então Palestina em três entidades: um Estado judeu, um Estado árabe e Jerusalém, formando um "corpus separatum" sob regime internacional especial administrado pelas Nações Unidas.
O plano foi aceito pelos dirigentes sionistas, mas rejeitado pelos líderes árabes.
Na esteira da saída dos britânicos da região e da primeira guerra árabe-israelense, o Estado de Israel é criado em 1948, e tem Jerusalém Ocidental instituída como capital, com a parte leste da cidade ainda sob controle da Jordânia.
Israel toma conta de Jerusalém Oriental ao longo da guerra dos Seis Dias, em 1967, anexando o território. Em 1980, uma lei fundamental israelense confirma o status de Jerusalém como capital "eterna e indivisível" de Israel.
Veja abaixo o que alguns atores internacionais pensam sobre a questão.

O que pensa Israel

Nesta terça (5), o governo israelense voltou a reafirmar sua posição: "Jerusalém é a capital do povo judeu há 3.000 anos e a capital de Israel há 70 anos". Isso vale para toda a Jerusalém, Oriental e Ocidental, cidade "reunificada".

O que pensam os palestinos

Interlocutora da comunidade internacional e de Israel, a Autoridade Palestina reivindica Jerusalém Oriental como a capital de um futuro Estado palestino independente. Já o Hamas, que não reconhece Israel, evoca toda a cidade de Jerusalém como a capital de um futuro Estado da Palestina.

Qual a posição dos EUA

Em 1995, o Congresso americano adotou o Jerusalem Embassy Act (Lei da Embaixada de Jerusalém), com um apelo para que o governo mude a embaixada de Tel Aviv para Jerusalém, "capital do Estado de Israel".
A lei é obrigatória para o governo americano, mas uma cláusula permite aos presidentes adiar sua aplicação por seis meses. Bill Clinton, George W. Bush e Barack Obama acionaram a cláusula, sistematicamente, a cada seis meses.
A contragosto, Trump fez isso pela primeira vez em junho de 2017, e agora acaba de declarar Jerusalém a capital de Israel, e anunciar a mudança da embaixada de Tel Aviv para lá.

Qual a posição da comunidade internacional

A ONU não reconhece a anexação de Jerusalém Oriental, considerada como território ocupado. Ela declarou a lei israelense de 1980 como uma violação Direito Internacional.
Para o organismo, o status final de Jerusalém deve ser negociado entre as partes.
Em 1980, a ONU fez um apelo, por meio da resolução 478, a todos os países com missão diplomática em Jerusalém para que se retirassem de lá. Treze países (Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, República Dominicana, Equador, El Salvador, Guatemala, Haiti, Holanda, Panamá, Uruguai, Venezuela) transferiram sua embaixada para Tel Aviv. O Brasil, assim como a maior parte dos países que reconhecem Israel, também mantém sua embaixada em Tel Aviv.

Singularidade russa

Em abril de 2017, a imprensa israelense fez grande alarde de um comunicado do governo russo, no qual Moscou disse considerar "Jerusalém Ocidental como a capital de Israel".
Comemorada por uma parte da classe política israelense, ainda que sem consequências concretas, a nota também reconhecia "Jerusalém Oriental como a capital de um futuro Estado palestino".
"Confirmamos lealdade às decisões da ONU sobre os princípios de resolução, incluindo o estatuto de Jerusalém Oriental como capital do futuro estado palestiniano. Entretanto, achamos necessário acrescentar que, neste contexto, classificamos Jerusalém Ocidental como a capital de Israel", diz o comunicado do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, citado pela imprensa estatal.

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Cientistas prevêem as maiores catástrofes da Terra


Cientistas prevêem as maiores catástrofes da Terra

O clima na Terra está mudando. Prova disso é que em alguns lugares as pessoas precisam lidar com temperaturas extremas, como um calor brutal no verão e fortes nevascas no inverno. Por conta disso, muitos pesquisadores especulam que algum destes fenômenos poderia estar associado a um grande desastre natural, como o processo de desertificação ou derretimento de geleiras e grandes inundações. Atualmente, não precisamos ir tão longe, terremotos, vulcões, grandes incêndios e tsunamis já assolam a humanidade. Levando isso tudo em conta, preparamos uma lista com as maiores ameaças da natureza e até do Universo (em ordem decrescente):
5 - Explosão do Vulcão Bardarbunga – Islândia
A erupção deste vulcão é esperada há algum tempo pelo Escritório Meteorológico Islandês. A preocupação com sua atividade aumentou por causa das centenas de terremotos que ocorreram ao redor do local ao longo de vários dias. Caso o Bardarbunga entre em erupção, o gelo no seu entorno derreteria, causando inundações. Além disso, sua atividade poderia despertar o vulcão Torfajokull, que poderia acabar com diversos rios que movem usinas hidrelétrica no país.
4 - Terremoto gêmeo – Japão, 2017
Um terremoto devastador poderá atingir o Japão nos próximos anos, de acordo com o sismólogo Masaaki Kimura, da Universidade de Ryukyus. Sua magnitude seria de 9,0. Suas previsões são baseadas no que ele chama de “olhos de terremoto”, regiões com vários pequenos terremotos que são geralmente ignorados. De acordo com ele, a atividade destes pequenos terremoto são as melhores formas de prever um grande terremoto. O pesquisador acredita que o novo terremoto começará nas Ilhas Izu e causaria um tsunami, que varreria o Japão de forma parecida ao de Tohoku, de 2011.
3 - Terremoto e tsunami – Oregon, 2015-2065
Um terremoto de magnitude entre 8 e 9 e um tsunami na sequência acertariam a costa do Oregon nos próximos 50 anos. A previsão foi feita pela Comissão Consultiva de Política de Segurança Sísmica do Oregon. A fonte da castástrofe seria uma chamada zona de subducção de Cascadia, uma fenda de mais de 1.287 km que fica a 97 km da costa do Oregon. Acredita-se que esta rachadura esconda um dos maiores eventos sísmicos do século.
2. Maior tsunami da história – Caribe, sem data.
Apesar das praias paradisíacas o cenário no futuro não é nada belo para os moradores do Caribe, de acordo com Simon Day, da University College London, e Steven Ward, da Universidade da Califórnia, em Santa Cruz. De acordo com eles, o vulcão Cumbre Vieja, nas Ilhas Canárias, entrará em erupção e será o causador do maior tsunami da história. Uma onda monstruosa seria criada e atingiria 800 km/h, com até 100 metros de altura. A destruição atingiria também Flórida e até Inglaterra. Calma, este é o cenário mais aterrorizante. O provável é que o Cumbre Vieja cause deslizamentos fragmentados, o que não provocaria um tsunami tão deavstador, mas mesmo assim é melhor não estar por lá.
1. Enorme tempestade solar – 2015-2025
A grande ameaça, na realidade, viria de fora do nosso planeta e mais extamente do Sol, por meio de uma de suas tempestades solares – uma labareda, com altos níveis de radiação UV e partículas energéticas. Segundo Pete Riley, do Instituto de Ciência Preditiva, uma grande tempestade solar poderá atingir a Terra dentro de uma década. Caso isso aconteça, sistemas de rádio, localização por satélite (GPS) e comunicações poderiam ser afetadas, assim como também a possibilidade de apagões por todo o mundo. A perda iria beirar a casa dos trilhões de dólares.